• Centro Ortopédico Ipiranga

Anestesia para cirurgia do quadril e do joelho


Antes da sua cirurgia, o seu médico discutirá sobre a anestesia com você. A seleção da anestesia é uma decisão importante que pode ter um impacto significativo na sua recuperação e por isso merece cuidado e discussão com seu cirurgião e anestesiologista.

Vários fatores devem ser considerados ao selecionar a anestesia, incluindo:

  • Suas experiências e preferências. Você já tomou anestesia antes? Você teve alguma reação à anestesia? Como os outros membros da sua família reagem à anestesia?

  • Sua saúde atual e condição física. Você fuma? Você está com sobrepeso? Você está sendo tratado por alguma outra condição que não seja a sua substituição da articulação?

  • Suas reações aos medicamentos. Você tem alguma alergia? Você já teve efeitos colaterais ruins de uma droga? Quais medicamentos, suplementos nutricionais, vitaminas ou remédios à base de ervas você está tomando atualmente?

  • Os riscos envolvidos. Os riscos variam dependendo da sua saúde e da seleção da anestesia, mas podem incluir dificuldades respiratórias, reações alérgicas e lesões nervosas. Seu cirurgião e anestesista discutirão riscos específicos com você.

  • Sua equipe médica. As habilidades e preferências de sua equipe cirúrgica e de anestesia desempenham um papel importante na seleção da anestesia.

TIPOS DE ANESTESIA

Existem três categorias amplas de anestesia: local, regional e geral.

  • Anestesia local

A local anestesia apenas a área específica a ser tratada com uma injeção, spray ou pomada que dura apenas por um curto período de tempo. Os pacientes permanecem conscientes durante esse tipo de anestesia. Essa técnica é reservada para procedimentos menores. Para cirurgias de grande porte, como artroplastia de quadril ou joelho, a anestesia local pode ser usada para complementar o principal tipo de anestesia utilizada.

  • Anestesia Regional

A anestesia regional envolve o bloqueio dos nervos para uma área específica do corpo, sem afetar o cérebro ou a respiração. Como você permanece consciente, receberá sedativos para relaxar e colocá-lo em um sono leve.

Os três tipos de anestesia regional usados ​​com mais frequência na cirurgia de substituição articular são a raquianestesia, os bloqueios epidurais e os bloqueios de nervos periféricos.

  • Raquianestesia. Em uma raquianestesia, a anestesia é injetada no fluido que circunda a medula espinhal na parte inferior das costas. Isso produz um efeito rápido que desaparece após várias horas.

  • Bloqueio Epidural ou Peridural. Um bloqueio peridural usa um cateter inserido na parte inferior das costas para administrar anestésicos locais durante um período de tempo variável. O bloqueio peridural e a raquianestesia são administrados em local muito semelhante; no entanto, o cateter peridural é colocado em uma área ligeiramente diferente ao redor da coluna, em comparação com um bloqueio espinhal.

  • Bloqueio do Nervo Periférico. Um bloqueio de nervo periférico coloca o anestésico local diretamente ao redor dos principais nervos da coxa, como o nervo femoral ou o nervo ciático. Esse tipo anestesia apenas a perna que é injetada e não afeta a outra perna. Uma opção para um bloqueio periférico é realizar uma injeção única ao redor dos nervos, a fim de anestesiar a perna apenas pelo tempo suficiente para a cirurgia. Outra opção para esse tipo de bloqueio é manter um cateter no lugar, que pode fornecer anestesia local contínua em torno dos nervos por até vários dias após a cirurgia.

As vantagens da anestesia regional podem incluir menor perda de sangue, menos náusea, menos sonolência, melhor controle da dor após a cirurgia e redução do risco de complicações médicas graves, como ataque cardíaco ou acidente vascular cerebral (AVC) que, embora raros, podem ocorrer com anestesia geral.

Os efeitos colaterais da anestesia regional podem incluir dores de cabeça, dificuldade para urinar, reações alérgicas e raramente lesão nervosa.

  • Anestesia geral

A anestesia geral é frequentemente usada em cirurgias de grande porte, como a substituição da articulação. A anestesia geral pode ser selecionada com base na preferência do paciente, cirurgião ou anestesiologista, ou se você não puder receber anestesia regional ou local. Ao contrário da anestesia regional e local, a anestesia geral afeta todo o corpo. Ela age no cérebro e no sistema nervoso e deixa você temporariamente inconsciente.

  • Administração. Com anestesia geral, o anestesiologista administra medicação por injeção ou inalação. O anestesiologista também colocará um tubo de respiração na garganta e administrará oxigênio para ajudar na respiração.

  • Riscos. Como com qualquer anestesia, existem riscos, e eles podem ser aumentados se você já tiver uma doença cardíaca, condições pulmonares crônicas ou outros problemas médicos sérios.

A anestesia geral afeta tanto o seu coração quanto as taxas de respiração, e há um pequeno risco de uma grave complicação médica, como ataque cardíaco ou derrame.

O tubo inserido na garganta pode causar dor de garganta e voz rouca por alguns dias.

Dor de cabeça, náusea e sonolência também são comuns.

ALÍVIO DA DOR APÓS A CIRURGIA

Os objetivos do manejo da dor pós-operatória são minimizar o desconforto e permitir que você se mova com menos dor para fazer fisioterapia e reabilitação após a cirurgia. O alívio da dor pós-operatória pode ser conseguido usando uma combinação de medicamentos orais ou medicações intravenosas.

Um método comum de controle da dor é chamado de "anestesia controlada pelo paciente" ou "PCA". Com o PCA, você será capaz de controlar o fluxo de medicação intravenosa, dentro dos limites pré-estabelecidos, à medida que sentir a necessidade de alívio adicional.

Se um bloqueio de nervo peridural ou periférico for usado para sua cirurgia, o cateter peridural ou periférico pode ser deixado no lugar e a anestesia pode ser continuada no período pós-operatório para ajudar a controlar a dor. Você também pode ter controle sobre a quantidade de medicação para dor que recebe nesses cateteres, dentro dos limites pré-estabelecidos.

Você será monitorado de perto para evitar complicações, como sedação excessiva ou quedas.

O uso adequado de analgésicos antes, durante e após a cirurgia é um aspecto extremamente importante do seu tratamento. O uso adequado da medicação para a dor pode incentivar a cura e tornar a sua substituição conjunta uma experiência mais satisfatória. Tire um tempo para discutir as opções com seu médico e faça perguntas sobre coisas que você não entende.

Este artigo é fornecido como um serviço informativo e não substitui a orientação médica.

Qualquer pessoa que procure aconselhamento ou assistência ortopédica específica deve consultar o seu cirurgião ortopédico ou agendar uma consulta no Centro Ortopédico Ipiranga clicando aqui.

Fonte: Academia Americana de Cirurgiões Ortopédicos

#Anestesia

© Centro Ortopédico Ipiranga

Rua Ipiranga, 109, Laranjeiras/RJ

Tel: (21) 2205-7996 / 3176-2061

Especialidades

  • Ortopedia

  • Trauma Ortopédico

  • Ortopedia Geriátrica

  • Fisioterapia

  • Reabilitação Funcional

  • Preparação Física

  • Medicina Esportiva

  • Enfermagem

Solicite seu agendamento online AQUI (a marcação da consulta só será validada após o contato do COI)

Convênios médicos

  • Bradesco Saúde

  • Unimed

  • Saúde Caixa

  • Petrobras

  • SulAmérica Saúde

  • Real Grandeza

  • Mediservice

  • AMBEP

  • Banco Central do Brasil

  • Caberj

  • Unafisco Saúde

Trabalhe conosco (estamos sem vagas)

Desenvolvido por GLF Comunicação