• Centro Ortopédico Ipiranga

Artroplastia total de joelho (parte 1)

Atualizado: há 2 dias

Quando o joelho está muito lesionado pela artrite ou por outra lesão, atividades simples, como caminhar ou subir escadas, podem se tornar difíceis. Pode haver dores mesmo sentado ou deitado.


Se tratamentos não cirúrgicos, como medicamentos e o uso de aparelhos que auxiliam a caminhar, não são mais capazes de ajudar, pode estar na hora de pensar em fazer uma artroplastia total de joelho. A artroplastia da articulação é um procedimento seguro e efetivo para aliviar as dores, corrigir deformidades no membro e ajudar a retornar às atividades normais.


A artroplastia de joelho foi realizada pela primeira vez em 1968. Desde então, as melhoras nas técnicas e nos materiais cirúrgicos aumentaram demais sua efetividade. As artroplastias totais de joelho são um dos procedimentos mais bem-sucedidos em toda a medicina. De acordo com a Agência Americana para Pesquisa e Qualidade em Saúde, mais de 600.000 artroplastias de joelho são realizadas por ano nos Estados Unidos.

O presente artigo ajudará a compreender melhor esse procedimento valioso, tanto se você estiver começando a explorar as opções de tratamento, quanto se já tiver decidido realizar a artroplastia total de joelho.


Anatomia


Anatomia de um joelho normal

O joelho é a maior articulação do corpo, e joelhos saudáveis são necessários para a realização da maioria das atividades do dia a dia.


O joelho é formado pela extremidade inferior do osso da coxa (fêmur), pela extremidade superior do osso da canela (tíbia) e pela rótula (patela). As extremidades desses três ossos são cobertas, no ponto em que se encontram, de cartilagem, uma substância lisa que protege os ossos e permite que se movam com facilidade.



Os meniscos estão localizados entre o fêmur e a tíbia. Essas cunhas em formato de C agem como "absorvedores de impacto", amortecendo a articulação.


Grandes ligamentos mantêm o fêmur e a tíbia unidos e conferem estabilidade. Os músculos longos da coxa dão força ao joelho.


E todas as superfícies restantes do joelho são cobertas por uma camada fina, chamada de membrana sinovial. Essa membrana libera um líquido que lubrifica a cartilagem, reduzindo o atrito a praticamente zero em um joelho saudável.


Normalmente, todos esses componentes trabalham em harmonia. Mas as doenças ou as lesões podem quebrar essa harmonia, resultando em dor, fraqueza muscular e redução das funções.


Causa

A causa mais comum de dores crônicas e disfunção do joelho é a artrite. Embora haja muitos tipos de artrite, a maior parte das dores no joelho é causada por apenas três tipos delas: osteoartrose, artrite reumatoide e artrose pós-traumática.


  • Osteoartrose. Este é um tipo de artrite causado pelo desgaste relacionado à idade. Normalmente ocorre em pessoas com 50 anos de idade ou mais, mas também pode ocorrer em pessoas mais jovens. A cartilagem que amortece os ossos do joelho amolece e desgasta-se. Passa então a haver atrito entre os ossos, o que causa as dores e a rigidez no joelho.


  • Artrite reumatoide. É uma doença que causa inflamação e espessamento da membrana sinovial que reveste a articulação. Essa inflamação crônica pode lesionar a cartilagem, levando a perda de cartilagem, dores e rigidez. A artrite reumatoide é a forma mais comum de um grupo de doenças chamado de "artrites inflamatórias".


  • Artrose pós-traumática. Pode ser a consequência de uma lesão grave do joelho. Fraturas dos ossos do joelho, ou rupturas dos ligamentos do joelho podem lesionar a cartilagem articular com o tempo, causando dores no joelho e limitando suas funções.


A osteoartrose resulta frequentemente no atrito entre os ossos. Esporões ósseos são uma manifestação comum dessa forma de artrite.

Descrição

A artroplastia de joelho (também chamada de prótese de joelho) teria um nome mais preciso se fosse chamada de artroplastia "da superfície" do joelho, porque apenas as superfícies dos ossos são efetivamente substituídas.


Há quatro etapas básicas no procedimento de artroplastia do joelho.


  • Preparação do osso. As superfícies de cartilagem lesionadas nas extremidades do fêmur e da tíbia são retiradas junto com uma pequena porção do osso por baixo delas.


  • Posicionamento dos implantes metálicos. A cartilagem e o osso retirados são substituídos por componentes metálicos que recriam a superfície da articulação. Essas partes metálicas podem ser fixadas no osso por cimentação ou pressão.


  • Cobertura da patela. A superfície interna da patela (rótula) é cortada e coberta com um disco plástico. Alguns cirurgiões não fazem a cobertura da patela, dependendo do caso.


  • Inserção de um espaçador. Um espaçador de plástico cirúrgico é inserido entre os componentes metálicos para criar uma superfície de contato com o menor atrito possível.


(Esquerda) Osteoartrose grave. (Direita) Cartilagem desgastada e osso subjacente retirados; fêmur e tíbia cobertos com implantes metálicos. Um espaçador plástico foi colocado entre os implantes. O componente patelar não é mostrado para facilitar a visualização.

Quando a artroplastia total de joelho é indicada?

A decisão de fazer uma artroplastia total de joelho deve ser tomada pelo paciente em conjunto com a família, o médico pessoal e o cirurgião ortopédico. O seu médico pode encaminhá-lo a um cirurgião ortopédico para que realize um exame completo destinado a determinar se a cirurgia será benéfica para você.


Quando a cirurgia é recomendada?

Há vários motivos para o médico recomendar a artroplastia de joelho. As pessoas que se beneficiam com a artroplastia total de joelho normalmente apresentam:


Joelho arqueado como resultado da artrose grave.

  • dor grave ou rigidez no joelho que limitam as atividades do dia a dia, incluindo caminhar, subir escadas e sentar-se e levantar-se. Pode ser difícil andar mais que alguns quarteirões sem dor significativa; pode ser necessário o uso de uma bengala ou um andador;

  • dor moderada ou grave no joelho em repouso, tanto de dia como de noite;

  • inflamação crônica no joelho e inchaço que não melhoram com repouso ou medicamentos;

  • deformidade no joelho, arqueamento do joelho para dentro ou para fora;

  • ausência de melhora significativa com outros tratamentos, como medicamentos anti-inflamatórios, injeções de corticosteroides, injeções lubrificantes, fisioterapia ou com outras cirurgias.


Candidatos para a cirurgia

Não há restrições absolutas quanto a idade ou o peso para a cirurgia de artroplastia total de joelho.


As recomendações para a cirurgia baseiam-se na dor e na limitação de movimento do paciente, não na idade. A maioria dos pacientes submetidos à artroplastia total de joelho tem entre 50 e 80 anos de idade, mas os cirurgiões ortopédicos avaliam cada paciente individualmente. Artroplastias totais de joelho têm sido realizadas com sucesso em todas as idades, dos adolescentes com artrite juvenil aos pacientes idosos com artrose degenerativa.


Em breve voltaremos a abordar o tema falando sobre avaliação ortopédica, decisão sobre artroplastia, possíveis complicações cirúrgicas, pré e pós-cirúrgico.


Este artigo é fornecido como um serviço informativo e não substitui a orientação médica. Qualquer pessoa que procure aconselhamento ou assistência ortopédica específica deve consultar o seu cirurgião ortopédico ou agendar uma consulta no Centro Ortopédico Ipiranga clicando aqui.


Fonte: Academia Americana de Cirurgiões Ortopédicos.


0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Rua Ipiranga, 109, Laranjeiras/RJ | Tel: (21) 2205-7996 / (21) 98181-6519

Atendimento presencial e Teleatendimento