• Centro Ortopédico Ipiranga

Fraturas do Tornozelo (Parte I)


Quando há uma lesão no tornozelo, a imagem costuma ser bastante forte para quem não está acostumado a lidar com esse tipo de situação. Porém para nós, ortopedistas e traumatologistas, esta é uma lesão bastante comum.


Quando falamos sobre um tornozelo fraturado/lesionado, significa que um ou mais ossos que compõem sua articulação estão fraturados ou quando há lesão nos ligamentos.


Um tornozelo fraturado pode variar de uma simples ruptura em um osso, até várias fraturas, o que força o tornozelo para fora do lugar e pode exigir que você não coloque peso nele por alguns meses. Em outras palavras: quanto mais ossos são fraturados, mais instável fica o tornozelo.


As fraturas do tornozelo afetam pessoas de todas as idades. Nos últimos 40 anos, os médicos notaram um aumento no número e na gravidade nas fraturas do tornozelo devido a um aumento de práticas esportivas e também com a população de mais idade cada vez mais ativa.


Anatomia

Três ossos formam a articulação do tornozelo:

  • Tíbia

  • Fíbula - osso menor da perna

  • Tálus - um pequeno osso que fica entre o osso do calcanhar (calcâneo), a tíbia e a fíbula.


A tíbia e a fíbula têm partes específicas que compõem o tornozelo:

  • Maléolo medial - parte interna da tíbia

  • Maléolo posterior - parte posterior da tíbia

  • Maléolo lateral - final da fíbula




Os médicos classificam as fraturas do tornozelo de acordo com a área do osso que está fraturada. Por exemplo, uma fratura no final da fíbula é chamada de fratura do maléolo lateral ou, se ambas as tíbias e fíbulas estão quebradas, é chamada de fratura bimaleolar.


Duas articulações estão envolvidas nas fraturas do tornozelo:

  • Articulação do tornozelo - onde a tíbia, a fíbula e o tálus se encontram;

  • Articulação da sindesmose - a articulação entre a tíbia e a fíbula, que é unida por ligamentos.

Vários ligamentos ajudam a tornar a articulação do tornozelo estável.


O que causa uma fratura no tornozelo?

  • Torcer ou girar seu tornozelo

  • Tropeçar ou cair

  • Impacto durante um acidente de carro


Sintomas

Como uma entorse grave no tornozelo pode parecer o mesmo que um tornozelo fraturado, cada lesão no tornozelo deve ser avaliada por um médico especialista.


Sintomas comuns quando ocorro fratura do tornozelo incluem:

  • Dor imediata e severa

  • Edema

  • Equimose

  • Sensibilidade/dor na palpação

  • Não conseguir colocar peso no pé lesionado

  • Deformidade (“fora do lugar”), particularmente se a articulação do tornozelo também estiver luxada


Exame Médico


Histórico Médico e Exame Físico

Depois de discutir seu histórico médico, sintomas e como a lesão ocorreu, seu médico fará um exame cuidadoso do tornozelo, do pé e da perna. Testes de imagem

Se o seu médico suspeitar de uma fratura no tornozelo, serão solicitados exames adicionais para fornecer mais informações sobre sua lesão.


Raios-x. Esta é a técnica de imagem diagnóstica mais comum e amplamente disponível. Raios-X podem mostrar se o osso está fraturado e se há deslocamento (espaço entre os ossos fraturados). Eles também podem mostrar quantos fragmentos de ossos fraturados existem. Raios-X devem ser feitos na perna, tornozelo e pé para se certificar de que nada mais esteja ferido.


Teste de stress. Dependendo do tipo de fratura do tornozelo, o médico pode pressionar o tornozelo e fazer uma radiografia especial, chamada teste de estresse. Este raio-x é feito para ver se certas fraturas do tornozelo requerem cirurgia.


Tomografia computadorizada (TC). Esse tipo de exame pode criar uma imagem de corte transversal do tornozelo e, às vezes, é feito para avaliar melhor a lesão. É especialmente útil quando a fratura se estende até a articulação do tornozelo.


Ressonância magnética (RM). Esses testes fornecem imagens de alta resolução de ossos e tecidos moles, como ligamentos. Para algumas fraturas do tornozelo, uma ressonância magnética pode ser solicitada para avaliar os ligamentos do tornozelo.


Recuperação

Assim como há uma ampla gama de lesões, há também uma ampla gama de como as pessoas se recuperam após a lesão. Leva pelo menos seis semanas para os ossos fraturados se curarem. Pode demorar mais tempo para os ligamentos e tendões envolvidos cicatrizarem.


Como mencionado acima, seu médico provavelmente monitorará a consolidação óssea com radiografias repetidas. Isso geralmente é feito com mais frequência durante as primeiras seis semanas, se a cirurgia não for escolhida.


Gerenciamento de dor

Dor após uma lesão ou cirurgia é uma parte natural do processo de cicatrização. Seu médico e enfermeiras trabalharão para reduzir sua dor, o que pode ajudá-lo a se recuperar mais rapidamente.


Medicamentos são frequentemente prescritos para alívio da dor a curto prazo após a cirurgia ou uma lesão. Muitos tipos de medicamentos estão disponíveis para ajudar a controlar a dor, incluindo opioides, antiinflamatórios não esteroidais (AINEs) e anestésicos locais. Seu médico pode usar uma combinação desses medicamentos para melhorar o alívio da dor, bem como minimizar a necessidade de opioides.


Esteja ciente de que, embora os opioides ajudem a aliviar a dor após a cirurgia ou uma lesão, eles são um narcótico e podem viciar. É importante usar opioides apenas como indicado pelo seu médico. Assim que sua dor começar a melhorar, pare de tomar. Fale com o seu médico se a sua dor não tiver melhorando dentro de alguns dias após o tratamento.


Reabilitação

A reabilitação é muito importante, independentemente de como uma fratura de tornozelo é tratada. Quando seu médico permite que você comece a movimentar seu tornozelo, a fisioterapia e os programas de exercícios em casa são muito importantes. Fazer seus exercícios regularmente é fundamental.


Eventualmente, você também começará a fazer exercícios de fortalecimento. Pode levar vários meses até que os músculos ao redor do tornozelo fiquem fortes o suficiente para você andar sem mancar e retornar às suas atividades regulares.


Novamente, os exercícios só fazem diferença se você realmente os fizer.


Complicações

As pessoas que fumam, têm diabetes ou são idosas correm um maior risco de complicações após a cirurgia, incluindo problemas de cicatrização de feridas. Isso ocorre porque pode levar mais tempo para os ossos se curarem.


Em breve falaremos sobre os tipos de fraturas e tratamentos.



Este artigo é fornecido como um serviço informativo e não substitui a orientação médica.


Qualquer pessoa que procure aconselhamento ou assistência ortopédica específica deve consultar o seu cirurgião ortopédico ou agendar uma consulta no Centro Ortopédico Ipiranga clicando aqui.


Fonte: Academia Americana de Cirurgiões Ortopédicos

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Rua Ipiranga, 109, Laranjeiras/RJ | Tel: (21) 2205-7996 / (21) 98181-6519

Atendimento presencial e Teleatendimento