• Centro Ortopédico Ipiranga

Tríade de Atletas Femininas: problemas causados por exercícios extremos e dietas


Devido à campanha “Outubro Rosa”, direcionada para a prevenção do Câncer de Mama, o mês de outubro é dedicado à atenção da saúde das Mulheres. Por isso, a nossa abordagem hoje, na primeira segunda-feira do mês, é sobre os problemas causados por exercícios extremos e dietas.


Esportes e exercícios são atividades saudáveis ​​para meninas e mulheres de todas as idades. Ocasionalmente, uma atleta que se concentra em ser magra ou leve pode comer muito pouco ou se exercitar demais. Isso pode causar danos à saúde a longo prazo. Também pode prejudicar o desempenho atlético ou tornar necessário limitar ou interromper o exercício.


Podem ocorrer três doenças interrelacionadas quando uma menina ou uma jovem chega a extremos na dieta ou nos exercícios. Juntas, essas condições são conhecidas como a "Tríade da Atleta Feminina".


As três condições são:

  • Distúrbio alimentar. Hábitos alimentares anormais (ou seja, dietas radicais, compulsão alimentar) ou exercícios excessivos impedem o corpo de obter nutrição suficiente.

  • Disfunção menstrual. A má nutrição, baixa ingestão de calorias, alta demanda de energia, estresse físico e emocional ou baixa porcentagem de gordura corporal podem levar a alterações hormonais que levam a menstruações irregulares ou interrompem totalmente os períodos menstruais (amenorreia).

  • Baixa densidade mineral óssea. A falta de menstruação interrompe os processos de construção óssea do corpo e enfraquece o esqueleto, tornando os ossos mais propensos a se quebrar. Nos casos mais graves, as jovens atletas podem desenvolver osteoporose como resultado de distúrbios alimentares e disfunção menstrual.


Mulheres em risco

As mulheres em qualquer esporte podem desenvolver um ou mais componentes da tríade. Em maior risco estão aqueles em esportes que recompensam a aparência (como patinação artística ou ginástica) ou melhor desempenho (como corrida de longa distância ou remo).


As tendências da moda e a publicidade frequentemente encorajam as mulheres a tentar atingir níveis de peso prejudiciais à saúde. Algumas atletas do sexo feminino sofrem de baixa autoestima ou depressão, e podem se concentrar na perda de peso porque pensam que são mais pesadas do que realmente são. Outras se sentem pressionadas a perder peso por parte de treinadores esportivos ou pais.



Atletas do sexo feminino devem considerar estas questões:

  • Você está insatisfeita com seu corpo?

  • Você se esforça para ser magra?

  • Você se concentra continuamente no seu peso?


Se a resposta a qualquer uma dessas perguntas for sim, você pode correr o risco de desenvolver padrões anormais de alimentação (alimentação desordenada), o que pode causar disfunção menstrual e osteoporose precoce.



TRÍADE DE ATLETAS FEMININAS


Distúrbio Alimentar

Embora geralmente não percebam ou admitam que estão doentes, as pessoas com distúrbios alimentares apresentam distúrbios graves e complexos nos comportamentos alimentares. Preocupam-se com a forma e o peso do corpo e têm hábitos alimentares inadequados.


A alimentação desordenada pode assumir várias formas. Algumas pessoas passam fome (anorexia nervosa) ou se envolvem em ciclos de alimentação excessiva e purgação (bulimia).


Outras restringem severamente a quantidade de comida que comem, jejuam por períodos prolongados ou fazem mau uso de pílulas dietéticas, diuréticos ou laxantes. Pessoas com distúrbios alimentares também podem praticar exercícios físicos excessivos para manter o peso baixo.


As mulheres têm maior probabilidade do que os homens de apresentar distúrbios alimentares. A doença pode causar muitos problemas, incluindo desidratação, fadiga muscular e fraqueza, batimento cardíaco irregular, danos renais e outras condições graves. Não ingerir cálcio suficiente pode levar à perda óssea. É especialmente ruim perder ossos quando você é criança ou adolescente porque é quando seu corpo deveria estar construindo ossos. Os desequilíbrios hormonais podem levar a uma maior perda óssea devido à disfunção menstrual.



Disfunção Menstrual

A falta de três ou mais períodos consecutivos é motivo de preocupação. Com a menstruação normal, o corpo produz estrogênio, um hormônio que ajuda a manter os ossos fortes. Sem um ciclo menstrual (amenorreia), o nível de estrogênio pode ser reduzido, causando uma perda de densidade e força óssea (osteoporose prematura).


Se isso acontecer durante a juventude, pode se tornar um problema sério mais tarde na vida, quando o processo natural de perda mineral óssea começa, após a menopausa. Amenorreia também pode causar fraturas por estresse. A menstruação normal é necessária para a gravidez.


Osteoporose prematura (baixa densidade óssea para a idade)

O tecido ósseo se desgasta, tornando seu esqueleto frágil. A baixa massa óssea aumenta o risco de fraturas.



EXAME MÉDICO


Reconhecer a Tríade da Atleta Feminina é o primeiro passo para tratá-la. Consulte seu médico imediatamente se você perder vários períodos menstruais, tiver uma fratura por estresse durante a prática de esportes ou achar que pode ter um distúrbio alimentar.


Dê ao médico seu histórico médico completo, incluindo:

  • Quais atividades físicas você pratica e o que você come para se alimentar;

  • Quantos anos você tinha quando começou a menstruar e se costuma menstruar regularmente;

  • Se você é sexualmente ativo, usa pílulas anticoncepcionais ou já esteve grávida;

  • Se você já teve fraturas por estresse ou outras lesões;

  • Quaisquer alterações (para cima ou para baixo) no seu peso;

  • Quaisquer medicamentos que esteja tomando, ou sintomas de outros problemas médicos;

  • História familiar de doenças (ou seja, doenças da tireoide, osteoporose);

  • Fatores que causam estresse em sua vida.


Seu médico fará um exame físico completo e poderá usar exames laboratoriais para verificar se há gravidez, doenças da tireoide e outras condições médicas. Em alguns casos, um teste de densidade óssea será recomendado.




TRATAMENTO

O tratamento para a Tríade da Atleta Feminina geralmente requer a ajuda de uma equipe de profissionais médicos, incluindo seu médico (cirurgião ortopédico, pediatra, ginecologista, médico de família), seu treinador esportivo, um nutricionista e um conselheiro ou psicólogo.



Não substitua nenhuma consulta médica por artigos online, mesmo no caso de serem publicados por especialistas. Cada caso é um caso e é essencial que o médico Ortopedista veja e avalie cada paciente.


Precisando falar com um ortopedista?

𝗘𝘀𝘁𝗮𝗺𝗼𝘀 𝗰𝗼𝗺 𝗮𝘁𝗲𝗻𝗱𝗶𝗺𝗲𝗻𝘁𝗼𝘀 𝗽𝗿𝗲𝘀𝗲𝗻𝗰𝗶𝗮𝗶𝘀 𝗲 𝗼𝗻𝗹𝗶𝗻𝗲. Entre em contato e informe-se sobre a melhor opção para você: (21) 99985-4472 / 98181-6519 / 2205-7996 / 3176-2061. Aqui em nosso site, você pode solicitar o agendamento preenchendo um simples formulário clicando aqui!



Este artigo é fornecido como um serviço informativo e não substitui a orientação médica. Qualquer pessoa que procure aconselhamento ou assistência ortopédica específica deve consultar o seu cirurgião ortopédico ou agendar uma consulta no Centro Ortopédico Ipiranga clicando aqui.


Fonte: Academia Americana de Cirurgiões Ortopédicos.

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Rua Ipiranga, 109, Laranjeiras/RJ | Tel: (21) 2205-7996 / (21) 98181-6519

Atendimento presencial e Teleatendimento